segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Apocalipse

Quando o mar se tornar vermelho de sangue e os ventos soprarem somente os cânticos da morte, quando a terra devastada estiver completamente calcinada e somente ossos forem vistos para o alem de suas vidas, quando os céus jorrarem chamas incandescentes e a linha do horizonte se tornar tão negra quanto nossas almas, os homens verdadeiramente saberão que o mundo esta se extinguindo em sua derradeira conclusão.

Para aquele que somente vê ódio, desgraça, morte, raiva, destruição, qualquer dia é o dia do Apocalipse. Cada acordar de manhã lhe parece o ultimo. A espera pelos quatro cavaleiros lhe toma a consciência. Sua vida se torna uma eterna queimação, que parte de dentro e atinge a todos como o fogo da fúria. Ele somente enxerga a civilização ruindo em sua própria ganancia e mediocridade, sem nunca confiar a ninguém o peso de suas visões distorcidas e recalcitrantes.

Para aquele que caminha no vale das sombras sozinho, a destruição total da realidade pode lhe parecer somente a ultima cartada da vida, finalizando uma jornada de ironias e sarcasmo intransponível. Naquele que tudo sofre, a liberdade da não-vida é o abraço solitário da quietude eterna.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

SOLIDÃO - CHICO BUARQUE DE HOLANDA

"SOLIDÃO POR CHICO BUARQUE DE HOLANDA

Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo... Isto é carência.
Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar... Isto é saudade.
Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes, para realinhar os pensamentos... Isto é equilíbrio.
Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente para que revejamos a nossa vida... Isto é um princípio da natureza.
Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado... Isto é circunstância.
Solidão é muito mais do que isto.
Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma...."

Fatalmente, uma verdade que parece ser a minha em momentos unicos

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Censura

Censura, um dos piores atos
seja ele hoje ou na época de 64
Não se pode ser aceita como um fato
E sim na verdade como um fardo

De Herzog a Rafinha Bastos
De tortura a processo
Nada disso deveria ir para os autos
Tal grande insucesso

A sociedade se mostra plastificada
uniforme em sua decadência
Adeus a tal irreverencia
Que venha a derrocada

No final de tudo
espero não nos fiquemos mudos
pois se assim todos nos mudarmos
quem fara graça do que nos tornarmos?

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Rider of the wind

Não costumo me deixar levar por certas
sensações, por saber que elas nos levam
a perigos que não podemos mensurar
ou controlar, mas se deixar levar pela
sensação unica do vento lhe contornando
os pelos e a pele, quando se dirige uma moto,
é algo que poucos sabem e menos ainda
tem a ousadia de apreciar.

Admito sempre para mim mesmo que
ainda sou um iniciante na arte de dirigir
uma moto e de saborear tais momentos,
mas me sinto feliz por este passo a passo.
Este é um verdadeiro manisfesto de
alguém que descobriu por vontade própria
que estar sobre duas rodas é uma
experiencia de adrenalina pura.

A todos aqueles que compartilham meus
sentimentos por tal grandiosa invenção
do homem, só posso desejar bons ventos
e muitos kilometros de estrada, seja ela
de asfalto ou de terra.