sexta-feira, 17 de maio de 2013

O ponto de virada


O ponto de virada. Aquele momento em que você tem certeza que, depois de tudo já vivido, pode ser completamente diferente. O ponto de virada pode ser atribuído a um texto, a uma conversa, a uma ação. Nem sempre notamos o ponto de virada, mas quando notamos, a experiencia se torna mais gratificante.

Estes dias me esbarrei num conto de Dostoiévski, chamado "O sonho de um homem ridículo". O texto fala basicamente sobre um homem, completamente apático e indiferente a vida em si, decide se matar. Com o revolver na mão, ele começa a pensar sobre os vizinhos e cai no sono. Sonhando, ele volta a terra antes do pecado original ocorrer. Nessa época em que ele sonho todos são felizes e contentes, sem nenhum tipo de problema. No decorrer do sonho, o personagem principal acaba de alguma forma rompendo com essa vida idílica dos demais, causando todos os problemas que temos hoje. Acordando do sonho, o personagem se da conta que a unica coisa que verdadeiramente importa no mundo é o Amor, em toda sua extensão.

Quando acabei de ler o texto, fiquei um tempo refletindo e pude me ver claramente como o "homem ridículo" do conto. Um cara que se deixou tornar amargo com os problemas da vida e as decepções. Sempre tive a impressão de que esta era a verdadeira realidade que vivo, mas na verdade me deixei corromper por este niilismo porco tão em voga hoje em dia. Me deixei levar pelos meus sentimentos ruins e pelas minhas experiencias mal sucedidas.

Esse é o ponto de virada. O meu. Como sei disso? Sinto que agora posso verdadeiramente mudar, pois rompi com a visão endurecida que tinha da vida.